Sustentabilidade

Inovação e tecnologia

A dupla função do sol nos parques Villa Lobos e Cândido Portinari

Locais recebem usinas solares fotovoltaicas com investimentos da AES Eletropaulo e da AES Tietê

A+ A-

Nesta semana, em 29 de maio, comemoramos o dia mundial da energia. A data foi instituída em Portugal no ano de 1981, como forma de reforçar a importância do uso racional e consciente da energia elétrica. 

De lá para cá, muita coisa mudou. Hoje, o consumo consciente de energia elétrica vai muito além do apagar de luzes. Novas fontes de energia surgiram e desafiam os modelos tradicionais conhecidos até então.

A geração solar fotovoltaica, produzida a partir da luz do sol, destaca-se entre as soluções de energia limpa. Uma alternativa econômica e sustentável que proporciona inúmeros benefícios à sociedade e ao meio ambiente.

Parques sustentáveis
Dias ensolarados são um verdadeiro convite aos espaços públicos. E é justamente o sol o grande diferencial dos parques Villa Lobos e Cândido Portinari. Localizados na zona oeste da capital paulista, os locais agora possuem uma usina de minigeração solar, exclusiva para atender às suas demandas de energia elétrica.

Foram instaladas 2.171 placas solares, com capacidade de geração de 665 MWh por ano, o suficiente para abastecer 92% do consumo dos dois parques. “Estamos muito satisfeitos em participar desse projeto. Queremos contribuir com o processo de desenvolvimento sustentável do nosso país, oferecendo energia limpa, confiável e a um custo acessível aos nossos clientes”, diz Charles Capdeville, diretor de Engenharia da AES Eletropaulo.

Os parques continuarão conectados à rede de fornecimento de energia elétrica da AES Eletropaulo. Isso porque os locais consomem a energia solar no momento em que ela é gerada e fornecem para a rede o seu excedente. No momento em que não houver produção suficiente de energia, seja no horário noturno ou em dias com forte nebulosidade, os parques serão abastecidos pela rede da AES Eletropaulo, em sistema de compensação de energia.

Além da autossuficiência dos parques e da obtenção de dados para pesquisas acadêmicas, o projeto pretende propagar o uso de energia solar fotovoltaica entre os visitantes, demonstrando que geração de energia solar é benéfica ao meio ambiente, à economia e pode se integrar com as instalações urbanas.

A operação da usina solar foi iniciada na última sexta-feira, 26 de maio, e contou com a presença do governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, que, em seu discurso, enfatizou economia de R$ 270 mil ao ano com a chegada da energia solar nos dois parques.

A iniciativa faz parte de uma chamada estratégica de pesquisa e desenvolvimento da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica), na qual a AES Eletropaulo contribuiu com investimento de aproximadamente R$ 1 milhão. Já a AES Tietê entrou com o know how para estudo e viabilização do projeto.

Notícias relacionadas

Inovação e tecnologia

Lenine se apresenta na segunda edição do Energiza...

Projeto pioneiro, patrocinado pela AES Eletropaulo, gera energia por meio de bicicletas

Inovação e tecnologia

Armazenamento de energia por baterias transform...

Solução inovadora em energia foi apresentada pela AES Tietê no IV SINREM

Inovação e tecnologia

Quais os desafios das cidades inteligentes?

Confira como foi a participação da AES Brasil no evento Connected Smart Cities 2017

Houve um problema no envio da mensagem.
Por favor, tente novamente.